Controle de ponto online pra gestão de jornada fixa e home office.

Sumário

Planilha de banco de horas: como montar e usar uma?

planilha de banco de horas

Planilha de banco de horas, você sabe como fazer? Se você tem dúvidas sobre como montar e usar sua planilha de banco de horas, aqui neste artigo, vai encontrar informações importantes.

O controle da planilha de banco de horas faz parte das demandas que envolvem a jornada de trabalho.

A jornada de trabalho é um dos pontos mais questionados nas questões judiciais trabalhistas, portanto é importante que você tenha domínio sobre este assunto.

O banco de horas teve sua utilização mais comum depois que a Reforma Trabalhista tornou sua utilização mais flexível, se você quer dominar a planilha de banco de horas, fique atento e leia até o final.

Planilha de Banco de Horas, qual sua importância?

Em 1998 o Banco de Horas ganhou uma legislação específica, ele que já era permitido pela Constituição Federal, não tinha ainda regras específicas, até então.

Porém, foi quando a Reforma Trabalhista entrou em vigor, em 2017, que o uso do banco de horas nas empresas tornou-se mais comum, isso porque, com ela veio alterações que tornaram o regime de banco de horas mais flexível.

As alterações também tornaram a proposta mais atraente, tanto para o colaborador como para o empregador, esse com certeza foi o agente de popularidade.

Posso afirmar que basicamente, as mudanças trouxeram mais autonomia à relação entre empregador e colaborador, no trato para a implantação do acordo. 

Principalmente, pois com a Reforma Trabalhista, o banco de horas pode ser feito um acordo mútuo, sem a necessidade da participação de sindicatos.

Entretanto, essa flexibilidade não torna a planilha de banco de horas sem valor, este tema é muito importante, e tem sido uma das principais causas da justiça do trabalho. 

Por exemplo, em 2019, antes da implosão da pandemia, nos dois primeiros meses tivemos 2.348 novos processos envolvendo banco de horas e sua compensação da jornada de trabalho.

Estas questões existem porque o banco de horas tem regras a serem observadas, e elas podem impactar a remuneração do colaborador, por isso é muito importante você ter conhecimento de seu funcionamento.

Se você chegou até aqui, é porque o tema lhe despertou interesse, acompanhe agora a razão de ter um controle do banco de horas em sua empresa.

Por que usar a planilha de banco de horas?

A planilha de banco de horas é importante pois ela está ligada à jornada de trabalho.

O banco de horas é um sistema de compensação das horas extras, e para que ele funcione bem você precisa estar por dentro da jornada de trabalho e tudo que a envolve.

Pois, o banco vai registrar horas positivas, que são aquelas que vão precisar de folgas para compensar o trabalho a mais. E horas negativas, essas são frutos das vezes que o funcionário não pode cumprir toda sua jornada.

Esse movimento de horas, positivas e negativas, são lançadas na planilha de banco de horas, por isso você precisa desse controle.

Você vai entender agora como montar sua planilha de banco de horas.

Como criar e utilizar,  uma Planilha de Banco de Horas 

Para você fazer uma planilha de banco de horas, é preciso que ela tenha todos os movimentos de entrada e saída de cada colaborador.

Alguns itens devem constar nessa planilha, veja abaixo os tópicos:

  • Data;
  • Horários de entrada;
  • Horário de saída para almoço; 
  • Horário de volta do almoço;
  • Horário de saída;
  • Horas trabalhadas;
  • Horas extras;

Independente de como seja a sua planilha esse dados não podem faltar, pois a jornada de trabalho tem suas regras.

Compreendendo os dados da sua planilha de banco de horas.

Cada um dos dados na planilha tem uma razão baseada nas regras da jornada de trabalho baseado nas regulamentações da CLT, acompanhe.

  • Data – A jornada de trabalho comum deve ser de 8 horas, e ter no máximo 2 horas extras por dia, por isso é importante que a sua planilha seja marcada a cada dia de trabalho.

A data ainda tem outra implicação, o banco de dados tem um tempo de validade, que hoje pode durar de 1 mês até 12 meses, dependendo da forma que o acordo foi celebrado. 

E findo o período de duração, deve ser feito todos os acertos, se tiver horas positivas a empresa tem que acertar pelo valor atualizado da hora de trabalho do colaborador, se for ao contrário, as horas negativas podem ser descontadas da remuneração do colaborador.

  • Horários de entrada e saída – Existe uma tolerância tanto para a entrada, quanto para saída, que determina no máximo 5 minutos de atraso, e que no dia não ultrapasse 10 minutos. 

Qualquer que passe será contabilizado como irregularidade. 

Por exemplo: se o colaborador registrar sua entrada com 12 minutos de atraso, nesse caso para o banco de horas, ele tem 12 minutos negativos (ou devedor a empresa), da mesma forma se na saída ele bater o ponto 30 minutos a mais, somou tempo positivo no banco de horas (ou seja a empresa deve esse tempo ao colaborador).

  • Intervalo do Almoço  – Chamado de intervalo Intrajornada, esse obedecendo a CLT pode ser de 15 minutos, 1 hora ou até no máximo 2 horas, ou ainda em caráter especial pode ser 30 minutos.

O tempo de intervalo depende da jornada, ou ainda de acordo individual. Porém deve ser obedecido, e dentro do acordo de banco de horas pode gerar saldo no banco.

Porém, esse intervalo deve acontecer, se não a empresa pode ser multada.

  • Horas Trabalhadas – Aqui vai mostrar as horas normais, mas principalmente as faltas não justificadas. 

Outro ponto importante é que aqui também serve como uma contra prova, se houver mais de 8 horas trabalhadas em um dia, no próximo item deve estar registrado o tempo extraordinário trabalhado.

  • Horas Extras  – Como essa planilha está focada no banco de horas, essa é a principal informação, tudo na planilha está direcionado para saber se houve ou não horas extras.

Agora que você compreendeu como se faz e se usa uma planilha de banco de horas, viu sua importância e a demanda que é para mantê-la em dia, quero lhe apresentar a TradingWorks com seu controle de ponto eletrônico você terá todos os esses dados na íntegra, sem perigo de falhas.

Autor do conteúdo:

Edgar Henrique

Edgar Henrique

Chief Product Officer da TradingWorks e especialista em Gerenciamento de Projetos, BPM, Mapeamento de Processos, Scrum, PMP, Bizagi, CDIA+, Kofax, VB.NET, C#, VB6, SQL Server e MS Project.

Mais conteúdos do blog