Controle de ponto online pra gestão de jornada fixa e home office.

Sumário

Saiba como descobrir o valor da hora extra dos colaboradores

Entenda como descobrir o valor da hora extra dos colaboradores

Descobrir o valor da hora extra dos colaboradores é o desafio para qualquer profissional de RH. São diversas regras que devemos nos atentar, do contrário a empresa poderá ter grandes prejuízos.

Então, continue comigo que vamos te mostrar como descobrir o valor da hora extra sem dificuldade!

Quais são as regras da hora extra?

Conforme o art. 7 da nossa Constituição, a jornada de trabalho de um colaborador é de 8 horas diárias (exceto em algumas exceções), respeitado limite de 44 horas semanais. Entretanto, a CLT permite que haja as horas extras, que são de até 2 horas a mais por dia.

De tal maneira, a principal regra que devemos saber é que o valor da hora extra deve ser acrescido de, no mínimo, 50%. Esse acréscimo pode ser maior, dependendo de acordos e convenções coletivas.

Há também o pagamento de hora extra quando o colaborador continua trabalhando em seu horário de almoço. Assim, a empresa:

  • Não terá nenhuma consequência, caso o intervalo varie em 5 minutos, para mais ou menos;
  • Conforme a nova redação do §4º do art. 71, a não concessão ou concessão parcial do intervalo será pago com acréscimo de 50% sobre o período suprimido.

Outras regras importantes de observarmos:

  • O empregado pode se recusar de realizar as horas extras, desde que não seja por motivo de força maior ou esteja previsto em acordo escrito ou norma coletiva;
  • Em caso de força maior, o valor da hora extra é acrescido apenas em 25%;
  • Feriados e domingos devem ser acrescidos de 100%;
  • Home office só terá pagamento de horas extras se a jornada for controlada por horário e não por tarefas;
  • O cálculo do valor da hora extra possui incidência de outros adicionais, como noturno, insalubridade, periculosidade e outros.
Foto por Freepik

Valor da hora extra: entenda o cálculo de uma vez por todas!

Agora que entendemos as principais regras, vamos aprender a calcular o valor da hora extra, mas antes precisamos saber o valor da hora trabalhada.

Para isso, devemos saber a jornada de trabalho acordada com o colaborador. Assim, descobrimos qual o divisor que vamos utilizar, da seguinte forma:

  • 26 horas semanais = 130 
  • 36 horas semanais = 180
  • 40 horas semanais = 200
  • 44 horas semanais = 220

Com essa tabela, podemos descobrir o valor da hora comum rapidamente. Por exemplo, nosso colaborador Tiago recebe R$ 2.500 por uma jornada de 40 horas semanais.

Então, o valor da sua hora será:

  • R$ 2.500 / 200 = R$ 12,50

Simples, não é? Será sobre esse valor de R$ 12,50 que vamos realizar os demais cálculos.

Valor da hora extra comum

Primeiramente, vamos entender o valor da hora extra comum. Nesse sentido, “hora extra comum” significa aquela que não há incidência de outros fatores, como adicional noturno, trabalho no domingo, e outros.

Dessa forma, digamos que Tiago realizou 10 horas extras no mês em dias normais. Assim, o seu valor de hora extra será:

  • R$ 12,50 x 1,5 = R$ 18,75
  • R$ 18,75 x 10 horas = R$ 187,50

Perceba que transformei 50% (em decimal seria 0,5) em 1,5 para já retornar o valor atualizado. Dessa forma o cálculo é mais rápido.

Hora extra noturna

Em segundo lugar temos a hora extra noturna que causa muita confusão. De tal modo, a hora extra noturna é devida quando o trabalhador trabalha a mais entre os horários de 22h e 5h.

Durante esse período a jornada deve ser acrescida de 20% sobre a hora comum. As regras de horário mudam dependendo se é atividade urbana ou rural (entenda mais aqui).

Nesse sentido, é preciso mais atenção na hora de calcular. Isso porque primeiro temos que calcular o adicional noturno, para depois calcular a hora extra. Dessa forma:

  • R$ 12,50 x 1,2 (20% adicional noturno) = R$ 15,00
  • R$ 15,00 x 1,5 (50% hora extra) = R$ 22,50

Veja que o valor da hora extra é calculado sobre o valor da hora noturna (com acréscimo de 20%). Dessa forma, calcular os 50% antes do adicional noturno estará errado!

Valor da hora extra em domingo e feriados

Por fim, temos o valor da hora extra para trabalho no domingo e feriados. Como visto há pouco, o trabalho nesses dias deve ser remunerado em dobro (100%).

Dessa forma, o cálculo é bastante simples. Basta multiplicar a hora comum por 2. Por exemplo, nosso colaborador Tiago receberia por hora extra:

  • R$ 12,50 x 2 = R$ 25,00

Então, se ele trabalhar 4 horas no domingo, Tiago receberia R$ 100 a mais no fim do mês.

Pode haver pagamento de horas extras mesmo adotando o banco de horas?

Muitos analistas de RH caem na armadilha de pensar que basta adotar o banco de horas que não precisa mais pagar horas extras. Contudo, a compensação de horas não elimina por completo o pagamento de horas extras com acréscimo!

Há diversas ocasiões que pode ocorrer a descaracterização do banco de horas. Entretanto, há duas situações principais:

  • Final do período: em acordos individuais, o banco de horas “vence” após 6 meses, e havendo saldo a compensar, a empresa deverá pagar essas horas como hora extra;
  • Rescisão: havendo horas a serem compensadas no momento da rescisão, o trabalhador terá direito em receber esse saldo conforme o valor da hora extra.

Por isso, é fundamental o controle do banco de horas, que só é possível quando a empresa possui um bom controle de ponto eletrônico.

Foto por Freepik

A importância do controle de ponto eletrônico

Por fim, o valor da hora extra pode ser descoberto com facilidade quando usamos controle de ponto eletrônico. Nesse sentido, o sistema permite calcular o saldo de horas extras em segundos.

Achou confusos todos os cálculos que fizemos até aqui? Então, deixe que o controle de ponto eletrônico faça por você!

Além disso, a empresa poderá adotar o banco de horas e fazer sua gestão sem complicações. Desse modo, reduzindo custos e melhorando o relacionamento com os colaboradores.

Enfim, o controle de ponto eletrônico é essencial para que a empresa tenha controle sobre as horas extras dos colaboradores. Assim, poderá calcular o valor da hora extra sem complicações.

Aliás, empresas com mais de 20 empregados são obrigadas a adotar o registro de ponto. De todo modo, em casos de processos trabalhistas, é a empresa que precisa comprovar a jornada, algo extremamente difícil se não houver um bom método de marcação de ponto.

Quer entender mais sobre o controle de ponto e como fazer corretamente? Clique aqui e veja nosso guia completo!

Autor do conteúdo:

Edgar Henrique

Edgar Henrique

Chief Product Officer da TradingWorks e especialista em Gerenciamento de Projetos, BPM, Mapeamento de Processos, Scrum, PMP, Bizagi, CDIA+, Kofax, VB.NET, C#, VB6, SQL Server e MS Project.

Mais conteúdos do blog