Controle de Ponto Eletrônico | TradingWorks

Sumário

Cálculo de banco de horas: saiba como fazer sem errar

Aprenda como fazer o cálculo de banco de horas.

Fazer o devido cálculo de banco de horas pode ser confuso e é necessário bastante atenção. Afinal, um erro poderá causar problemas na relação colaboradores e empresa.

Por isso, nesse artigo vamos tirar as principais dúvidas para fazer ser errar o cálculo de banco de horas. Vamos lá?

O que é o Banco de Horas

Muitos analistas acabam confundindo o Banco de Horas como sendo a mesma coisa de Horas Extras, apesar de que um mesmo sistema pode servir para as duas coisas.

Nesse sentido, o Banco de Horas funciona como um forma de contabilizar as horas que foram trabalhadas a mais. 

Contudo, se o banco de horas estiver sendo adotado em comum acordo, há situações que o funcionário fique “devendo” horas, por exemplo quando ele precisa sair mais cedo por algum motivo.

Dessa forma, o Banco de Horas irá fazer o cálculo entre a diferença das horas trabalhadas da jornada acordada. Tendo a empresa a opção de compensar as horas em outro dia, em vez de incluir na folha de pagamento.

Enquanto isso, o cálculo de horas extras irá utilizar o saldo que for calculado no Banco de Horas para saber quanto deverá ser pago para o funcionário. Ou seja, o cálculo de horas extras necessita do Banco de Horas para pagar o valor correto.

Portanto, vale a pena dizer que não calculamos, mas administramos o Banco de Horas.

Por isso, iremos falar como você pode gerenciar ele para fazer o cálculo correto de horas extras e das compensações de horas.

Como fazer o cálculo de banco de horas

Assim, para gerenciar o banco de horas da nossa equipe precisamos estabelecer algum tipo de sistema, correto?

Temos várias opções de fazer isso, no papel, planilha ou aplicativos. Claramente, fazer esse controle no papel, além de muito trabalho, pode gerar problemas por cálculos errados.

Desse modo, uma planilha básica irá conter os campos:

  • Dia da semana;
  • Data;
  • Entrada;
  • Saída para almoço;
  • Entrada do almoço;
  • Saída;
  • Jornada do dia: soma do total de horas trabalhadas;
  • Saldo: comparação entre a jornada do dia e o período do contrato de trabalho.

Claro que o banco de horas poderá necessitar de mais campos e fórmulas para termos um sistema mais completo e funcional.

Modelo de planilha de cálculo de banco de horas.
Modelo de planilha de cálculo de banco de horas.

Como podemos ver, o banco de horas também é essencial para ter o devido controle de ponto da equipe. Assim, também evitamos os casos de pessoas trabalhando de maneira excessiva.

Mas, com uma planilha será necessário possuir uma para cada funcionário e consolidar todas elas depois para fechar a folha de pagamento.

Compensação de horas

No art. 59 da CLT, no parágrafo 2º temos que a empresa poderá por acordo ou convenção coletiva que as horas extras sejam compensadas pela correspondente diminuição em outro dia.

Ou seja, um funcionário poderá entrar mais tarde ou sair mais cedo conforme ele tiver saldo no Banco de Horas. 

Entretanto, há empresas que preferem utilizarem o Banco de Horas para emendar feriados. Sabe aquela segunda-feira antes do feriado na terça que todo mundo queria que emendasse? Então, esse é um caso corriqueiro do uso da compensação de horas.

Porém, é necessário contabilizar corretamente o Banco de Horas para que a equipe não trabalhe a mais ou a menos do que o combinado.

Assim, com o nosso Banco de Horas consigamos saber o saldo precisamente a ser compensado.

Ademais, não esqueça de que esse banco de horas precisará ser compensado em até 6 meses. Caso não houver acordo individual para a compensação no mesmo mês.

Banco de Horas e o pagamento das horas extras

De tal maneira, se o acordo for de pagar as horas extras, se torna ainda mais importante o correto cálculo de Banco de Horas.

Afinal, pagar a mais é prejudicial para as finanças da empresa. Contudo, pagar a menos poderá render processos trabalhistas que serão muito mais caros.

Lembrando que o funcionário, conforme o art. 59 da CLT, não pode fazer mais que duas horas extras por dia.

Assim, as horas extras como estabelecido na lei terão que ser pagas com 50% a mais que a hora normal ou 100% quando for domingo ou feriado.

Vamos a alguns exemplos:

Tempo necessário: 1 minuto.

  1. Joseph ganha por hora R$ 9,25 e nesse mês ele fez 5 horas extras em dias de semana. Assim: 

    R$ 9,25 x 1,5 (dos 50%) = R$ 14,25
    R$ 14,25 x 5 horas = R$ 71,25 de horas extras que Joseph receberá.

  2. Marcelo é um gerente de loja e ganha R$ 11,25/hora e esse mês trabalho 4 horas em dois feriados. Ou seja:

    R$ 11,25 x 2 (por ser feriado, ele receberá o dobro) = R$ 22,50
    R$ 22,50 x 4 = R$ 90,00 que Marcelo receberá pelas horas extras.

Mas, perceba que o controle em planilha será bem complicado quando inserimos a variável de valores, domingos, feriados e etc, não é? Serão diversos campos e fórmulas para fazer o cálculos e acabará ficando confuso.

Além disso, quanto mais funcionários a empresa tiver, mais complexo fica. Cada um terá sua própria planilha e para isso sair fora do controle é dois minuto.

Ademais, o uso de planilhas dessa forma dificulta a criação de relatórios gerenciais, que são fundamentais para a tomada de decisões.

Ou seja, ter um sistema automatizado se torna bastante atraente.

A vantagem de automatizar o cálculo de banco de horas

Portanto, buscar métodos de automatizar esse cálculo se torna essencial para aumentar a produtividade do departamento. Afinal, sem precisar ficar lançando dados em planilhas, você poderá focar seu tempo em ações mais estratégicas para empresa.

Algumas das vantagens de ter um sistema de controle de ponto que faça de modo automático esses cálculos:

  • Integração com os outros sistemas de gestão;
  • Cálculo de banco de horas com exatidão;
  • Cálculo de horas extras automaticamente;
  • Relatórios gerencial;
  • Segurança dos dados.

Por fim, um sistema automatizado poderá salvar muito do seu tempo de trabalho e ainda ser uma fonte de economia para a empresa.

Se quiser conhecer sobre como um sistema de controle de ponto digital, como da TradingWorks, pode te auxiliar nos cálculos de RH veja esse artigo que falamos sobre isso nesse link.

E na sua empresa, como vocês fazem o cálculo de banco de horas dos colaboradores?

Autor do conteúdo:

Edgar Henrique

Edgar Henrique

Chief Product Officer da TradingWorks e especialista em Gerenciamento de Projetos, BPM, Mapeamento de Processos, Scrum, PMP, Bizagi, CDIA+, Kofax, VB.NET, C#, VB6, SQL Server e MS Project.

Mais conteúdos do blog